Greve dos motoristas de matérias perigosas afeta gasolineiras em todo o país

#1

O sindicato dos motoristas de matérias perigosas levou a cabo hoje uma greve que está a afetar cerca de metade das gasolineiras do país à altura da escrita desta notícia. A poucos dias da Páscoa os motoristas terão aderido em massa à greve, provocando uma paralisação no transporte dos combustíveis até às gasolineiras.

A notícia rapidamente percorreu as redes sociais, levando centenas de pessoas às gasolineiras para encher os depósitos. A estação de rádio TSF divulgou relatos de vários ouvintes que reportam ver centenas de carros em espera para abastecer. Foi também montado um site próprio para juntar informação de que gasolineiras estarão sem combustíveis, uma iniciativa dos Voluntários Digitais Em Situações de Emergências (VOST).

A paralização está a ser tão severa que o governo foi obrigado a impor requisições civis, estando os aeroportos de Lisboa e Faro a usar as suas reservas de emergência.

O Sindicato Nacional de Motoristas de Mercadorias Perigosas (SNMMP) revindica aumentos salariais, bem como um aumento do subsídio de risco que se encontra atualmente nos 7,5€ diários e uma revisão do seu estatuto fiscal. O presidente do SNMMP, Francisco São Bento, já contestou a requisição civil imposta pelo estado, criticando o governo de agir antes de falar e negociar as exigências dos motoristas.

4 Likes
(Gonçalo) #2

É assustador o quanto dependemos dos combustíveis. Numa paralização que parece ter durado menos de 24 horas vêem-se corridas às gasolineiras.

Penso que, da mesma forma que os sindicatos dos médicos ou dos enfermeiros são “obrigados” a fornecer serviços mínimos durante a sua exerção do direito de greve, o mesmo devia-se aplicar aqui. Julgando pela percentagem de motoristas que aderiram à greve (li algures que rondava os 100%), haverá alguma justificação para as revindicações que fazem; por outro lado, penso que não há contestação possível à requisição civil – está visto que não funcionamos de todo sem combustíveis.

4 Likes
(Fred Fernandes) #3

E por estas e por outras… que eu ando de mota eletrica!!! Posso carregar em qualquer tomada a EDP nao faz greve

(Tiago Santos) #4

Era esperado que tivesse alguma simpatia por quem não tem posse para comprar um veículo elétrico. Embora este episódio seja uma boa motivação para trocar ou mesmo para discutir a nossa dependência dos combustíveis, tem de compreender que não está ao alcance de todos.

Quanto ao que eu sinto, dou graças à iniciativa europeia de fazer a transição de veículos de combustíveis fósseis para elétricos até 2040. Esperemos que até lá isto não se repita, seja por greve, escassez ou outros motivos…

4 Likes
(João Pedro) #5

Resposta infeliz. E os transportes publicos? Muitos portugueses usam transportes publicos e se esta paralização continuar podem sofrer ainda mais atrasos que o costume.

Mesmo quem tem transporte proprio tem de se sujeitar a um veículo a combustivel, os eletricos ainda estão longe de estar ao alcance de todos…

4 Likes
(Diana Pereira) #6

Cheguei agora a casa, vim de transportes (incluindo autocarro) e não houve atrasos. Havia muitas pessoas a comentar este assunto nos transportes. E também há muita gente em grupos de Facebook a indicar que muitos postos de abastecimento já estão encerrados.
Espero que tudo volte ao normal em breve :slight_smile:

2 Likes
(Guilherme Borges) #7

Estava com o depósito na reserva, pelo que também fui atrás da gasolina… Muita fila para encher, e mais trânsito do que o costume no geral, visto que os carros na fila para encher ocupavam a estrada também.

Em termos de escassez, nesta zona (Margem Sul do Tejo), a coisa parece ainda estar controlada a esta hora, com todos os combustíveis disponíveis pelos sítios onde passei.

1 Like
(Diana Pereira) #8

Pelo que já ouvi dizer, a Prio da Trafaria e os postos da Repsol em Almada já estão encerrados.

1 Like
(Guilherme Borges) #9

Há coisa de meia hora ainda havia nas duas BPs de Corroios.

(Miguel Silva) #10

Por aqui está esgotado. a minha esperança é q esteja resolvido na próxima semana (e tudo indica que sim), até lá aguento.

(Gonçalo) #11

Bem vindo ao fórum Tiago!

@fernandes, quem anda nos elétricos realmente não sente, mas também não custa muito ser um pouco mais construtivo nos comentários. Recomendo uma segunda leitura do nosso código de ética :wink:

#12

Ontem no facebook não se falava noutra coisa. Eu penso que as gasolineiras não ficaram sem combustíveis naturalmente, foi por causa da correria que se gerou. Entende-se alguém que tenha o depósito na reserva ir abastecer, mas da forma como as pessoas corriam às bombas parecia que ia acabar a gasolina.

(Miguel Silva) #13

Não parece estar perto de se resolver, 40% é pouco ainda

1 Like
(Tiago Santos) #14

Também acho que as notícias que foram publicadas foram um pouco sensacionalistas e podem ter criado ainda mais preocupação aos leitores. A imprensa (em particular alguns jornais já conhecidos pelo sensacionalismo) devia esforçar-se em reportar notícias deste tipo com cuidado, explicando que é uma paralização temporária devido à greve dos motoristas e que não há motivos de preocupação.

(Diana Pereira) #15

A quem interessar: A TST publicou uma notícia (https://www.tsuldotejo.pt/index.php?page=noticias&sub=22&codNoticia=970) a informar que amanhã os autocarros vão circular com o horário de sábado.

2 Likes
(Gonçalo) #16

A greve parece ter terminado, e aparentemente os sindicatos chegaram a um acordo com o governo. :slight_smile:

1 Like